O que é o Câncer de Mama?

De tanto a gente evitar até falar o nome, muita gente também não sabe como e por que essa doença surge.

O câncer de mama é formado pela proliferação anormal de células do tecido mamário de forma rápida e desordenada em decorrência de alterações genéticas. Porém, isso não significa que o câncer de mama é sempre hereditário.

No funcionamento normal do nosso corpo, células antigas são substituídas por células novas. As mutações genéticas podem alterar a capacidade da célula de manter a sua divisão sob controle,

formando os tumores. Os tumores benignos não são cancerígenos e possuem aparência próxima ao normal, não invadem os tecidos vizinhos e não se espalham para as outras partes do corpo.
Já os tumores malignos são cancerosos e, se suas células não forem controladas, podem crescer e invadir as outras partes do corpo.

O câncer de mama é um tumor maligno que se desenvolve a partir de células da mama, começando geralmente nas células que revestem o ducto mamário. De forma mais rara, pode começar em outros tecidos da mama, como o adiposo e o fibroso.

O que causa o Câncer de Mama?

O câncer de mama não tem uma causa única, e diversos fatores estão relacionados ao aumento do risco de desenvolvimento da doença:

FATORES GENÉTICOS / HEREDITÁRIOS
As alterações nos genes podem ser adquiridas ou herdadas e, embora cerca de 90% dos casos de câncer de mama não possuam origem hereditária, esses fatores foram relacionados à presença de mutações em determinados genes, sendo os genes mais comuns BRCA1 e BRCA2.

Mulheres que possuem vários casos de câncer de mama e/ou pelo menos um caso de câncer de ovário em parentes consanguíneos, principalmente em idade jovem, além de caso de câncer de mama em homem (também em parente consanguíneo), podem ter uma predisposição hereditária ao desenvolvimento da doença e são consideradas de alto risco.
IDADE
Mulheres mais velhas, principalmente após os 50 anos de idade, têm maior risco de desenvolver câncer de mama. Com o envelhecimento, o acúmulo de exposições e as alterações biológicas aumentam esse risco de um modo geral.
FATORES ENDÓCRINOS
Estão relacionados principalmente ao estímulo pelo hormônio estrogênio, com o aumento do risco quanto maior for a exposição. São os fatores: menarca (primeira menstruação) precoce, menopausa tardia, primeira menstruação após os 30 anos, nuliparidade (mulheres que nunca tiveram filhos) e terapia de reposição hormonal após a menopausa.
FATORES COMPORTAMENTAIS / AMBIENTAIS
Incluem ingestão de bebida alcoólica, sobrepeso e obesidade, sedentarismo e exposição à radiação ionizante, e são proporcionais à dose e frequência. Em relação ao tabagismo, há evidências sugestivas de aumento do risco de desenvolvimento de câncer de mama principalmente na pré-menopausa.
A amamentação confere alguma proteção em relação ao câncer de mama, e o uso de anticoncepcionais orais não foram associados ao desenvolvimento do câncer de mama de acordo com estudos recentes.
Anterior
Próximo

Como manter os cuidados?

Agora que você já sabe o que pode, ou não, contribuir para o surgimento dos tumores e já entendeu a importância de manter bons hábitos no dia a dia, o segundo passo é manter as consultas médicas em dia. Há quanto tempo você não vai a um ginecologista ou mastologista?

Graças aos exames periódicos recomendados pelos médicos, é possível detectar tumores em estágio inicial e, com isso, alcançar até 95% de chances de cura. Vale a pena agendar uma consulta todo ano, né? Junto com procedimentos de rotina solicitados pelos ginecologistas, como ultrassonografias e Papanicolau, os médicos solicitam exames específicos para detectar o câncer de mama.

A Comissão Nacional de Mamografia, composta pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) e Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR), recomendam a mamografia de rastreamento anual a partir dos 40 anos para mulheres de risco habitual, e a partir dos 25-30 anos para mulheres de alto risco.

Porém, para esclarecer diagnósticos com alterações palpáveis, a mamografia deve ser realizada em qualquer idade sempre que for necessário.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação, analisar o tráfego e garantir o funcionamento de suas páginas. Os cookies coletados não identificam o usuário e estão em conformidade com os principais regulamentos brasileiros, tais como Lei de Geral de Proteção de Dados - LGPD - e Marco Cível da Internet.